Rental Software - Vivorental.com

Info:
- Aluguel de Computadores para consultorios, com toda a suporte: Convex
- Aluguel de multifuncionais, com toner, cilindro e suporte: Convex
- Adovagados - Previdenciario, DPVAT, Civil, Familia e Criminal - em Sinop / MT
- CRM, Proposal, Contracts and Invoices Management tool for small business
- CRM FOR RENTAL COMPANIES

Bula Medicamento - DORMIUM


DORMIUM (União Química).

Midazolam

Apresentações
Solução injetável 5 mg: Caixa com 5 ampolas de 5 ml. Solução injetável 15 mg: Caixa com 5 ampolas de 3 ml. Solução injetável 50 mg: Caixa com 5 ampolas de 10 ml.

Composição
Solução injetável: Cada ampola de 5 ml contém: Midazolam 5 mg. Veículo: Álcool benzílico, edetato dissódico, cloreto de sódio, água para injeção. Cada ampola de 3 ml contém: Midazolam 15 mg. Veículo: Álcool benzílico, edetato dissódico, cloreto de sódio, água para injeção. Cada ampola de 10 ml contém: Midazolam 50 mg. Veículo: Álcool benzílico, edetato dissódico, cloreto de sódio, água para injeção.

Indicações
O midazolam é um indutor de sono de ação curta e é indicado a pacientes adultos, pediátricos e neonatos para: a. sedação consciente antes de procedimentos diagnósticos ou terapêuticos, com ou sem anestesia local (administração EV); b. pré-medicação antes de indução anestésica, incluindo administração IM ou retal em crianças; c. indução e manutenção de anestesia; como um agente indutor em adultos em anestesia inalatória ou um componente sedativo em anestesia combinada, incluindo anestesia endovenosa total (injeção ou infusão EV); d. ataranalgesia em combinação com ketamina em crianças (administração IM); e. sedações prolongadas em unidades de terapia intensiva (administração EV como injeção em bolus ou infusão contínua).

Contra-indicações
O midazolam é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou aos benzodiazepínicos.

Reações adversas
Entre os efeitos adversos foram observados: Sistema nervoso central e periférico e distúrbios psiquiátricos: Sonolência e sedação prolongada, redução da atenção, confusão, euforia, alucinação, fadiga, cefaléia, tontura, ataxia, sedação pós-operatória, amnésia anterógrada. A amnésia anterógrada pode ainda estar presente no final do procedimento e em casos isolados. Amnésia prolongada tem sido relatada e sua duração é diretamente relacionada à dose administrada. As reações paradoxais, como agitação, movimentos involuntários, hiperatividade e hostilidade, excitação paradoxal e ataque, foram relatadas, particularmente entre crianças e idosos. Foi observada hipotensão severa em neonatos e em pacientes críticos, particularmente aqueles que receberam fentanil e/ou quando midazolam é administrado rapidamente. Foram relatados casos de convulsão em bebês prematuros e neonatos. O uso de midazolam, mesmo em doses terapêuticas, pode levar ao desenvolvimento de dependência física. Após administração endovenosa prolongada, a descontinuação (especialmente a descontinuação abrupta) pode resultar em sintomas de retirada, incluindo convulsões. Sistema gastrointestinal: Náusea, vômito, soluço, constipação e boca seca. Sistema cardiovascular: Eventos adversos cardiorrespiratórios graves têm ocorrido em raras ocasiões, tais como depressão respiratória, apnéia, parada respiratória e/ou parada cardíaca. Tais incidentes de risco de vida são mais prováveis de ocorrer em adultos com mais de 60 anos e naqueles com insuficiência respiratória preexistente ou prejuízo da função cardíaca, particularmente quando a injeção é administrada muito rapidamente ou quando uma alta dose é administrada. Outros eventos adversos cardiorrespiratórios relatados: Hipotensão, discreto aumento da freqüência cardíaca, efeitos vasodilatadores e dispnéia. Em casos isolados, laringoespasmo ocorreu após injeção de midazolam. Pele e apêndices: Erupção cutânea, reação urticariforme e prurido. Distúrbios do corpo como um todo: Casos isolados de hipersensibilidade generalizada, reações de pele a reações anafilactóides. Reações locais: Eritema e dor no local da injeção, tromboflebite e trombose.

Posologia
Midazolam é um sedativo potente e requer administração lenta e individualização da dose, que deverá ser ajustada para o estado de sedação desejado de acordo com a necessidade clínica, estado físico, idade e medicação concomitante. Em adultos acima de 60 anos e em pacientes debilitados ou com doenças crônicas, a dose deve ser determinada com cautela e os fatores especiais individuais devem ser considerados. Quando doses adicionais são administradas, é necessário um intervalo de 2 a 3 minutos entre as doses para permitir o efeito clínico. A administração intramuscular de midazolam deve ser feita em local com grande massa muscular. Durante a administração de midazolam deve-se manter monitoração contínua das funções cardíacas e respiratórias. A dose total de midazolam vai depender da resposta do paciente, do tipo e duração do procedimento diagnóstico ou intervenção cirúrgica, assim como do tipo e dosagem da medicação concomitante. Para sedação da consciência: Para sedação basal (consciência) prévia à intervenção cirúrgica ou diagnóstica, midazolam deve ser administrado por via EV. A dose deve ser individualizada e titulada. Midazolam não deve ser administrado por injeção rápida ou em bolus único. O início da sedação pode variar individualmente, dependendo do estado físico do paciente e das circunstâncias da dosagem (por exemplo, velocidade de administração e quantidade da dose). Se necessário, doses subseqüentes podem ser administradas de acordo com a necessidade individual. Midazolam tem efeito em torno de 2 minutos após a administração da injeção. O tempo médio para o efeito máximo é de 2,4 minutos. Adultos: A injeção EV de midazolam deve ser administrada lentamente a uma taxa de aproximadamente 1 mg em 30 segundos. Adultos com menos de 60 anos: Administração endovenosa (EV): A dose inicial é de 2,5 mg de midazolam, administrada lentamente, 5 a 10 minutos antes do início do procedimento. Se necessário, doses adicionais de 1 mg podem ser administradas. A dose média total tem sido em torno de 3,5 a 7,5 mg. Geralmente, não é necessário uma dose total maior que 5,0 mg. Adultos com mais de 60 anos, pacientes debilitados ou com doenças crônicas: Administração endovenosa (EV): A dose inicial deve ser reduzida para até 1 mg de midazolam, administrada 5 a 10 minutos antes do início do procedimento. Se necessário, doses adicionais de 0,5 a 1 mg podem ser administradas. Geralmente, não é necessário uma dose total maior que 3,5 mg. Crianças: Administração intramuscular (IM): Dose de 0,1 a 0,15 mg/kg de peso corporal, administrada 5 a 10 minutos antes do início do procedimento. Para pacientes mais ansiosos, doses de até 0,5 mg/kg podem ser administradas. Geralmente, não é necessário uma dose total maior que 10,0 mg de midazolam. Administração endovenosa (EV): Midazolam deve ser titulado lentamente até o efeito clínico desejado. A dose inicial deve ser administrada em 2 a 3 minutos. Deve-se esperar um tempo adicional de 2 a 3 minutos para avaliar completamente o efeito sedativo antes de iniciar o procedimento ou repetir a dose. Se for necessária sedação complementar, continuar a titular com pequenos incrementos até que o nível apropriado de sedação seja alcançado. Bebês e crianças pequenas menores que 5 anos de idade podem necessitar de doses substancialmente mais altas que crianças de mais idade e adolescentes. Pacientes pediátricos menores que 6 meses de idade: Informações limitadas estão disponíveis em pacientes pediátricos não-intubados menores que 6 meses de idade. Por serem particularmente vulneráveis à obstrução de vias aéreas e hipoventilação, é essencial uma titulação com pequenos incrementos até o efeito clínico e uma monitorização cuidadosa. Pacientes pediátricos de 6 meses a 5 anos de idade: A dose inicial é de 0,05 a 0,1 mg de midazolam por kg de peso corporal. Uma dose total de até 0,6 mg/kg pode ser necessária para atingir o efeito desejado, porém geralmente não deve exceder 6 mg. Pacientes pediátricos de 6 a 12 anos de idade: A dose inicial é de 0,025 a 0,05 mg/kg de peso corporal. Uma dose total de até 0,4 mg/kg pode ser necessária para atingir o efeito desejado, mas não deve exceder 10 mg. Pacientes pediátricos de 12 a 16 anos de idade: Considerar a dosagem de adultos. Anestesia: Pré-medicação: A pré-medicação com midazolam, administrado lentamente antes de um procedimento, produz uma sedação (indução do sono ou sonolência e alívio da apreensão) e enfraquecimento da memória pré-operatória. Midazolam também pode ser administrado em combinação com anticolinérgicos. Para esta indicação, midazolam deve ser administrado por via intramuscular, profundamente, dentro de uma grande massa muscular, 20 a 60 minutos antes da indução anestésica. Para sedação pré-operatória (indução do sono ou sonolência e alívio da apreensão), para enfraquecer a memória de eventos pré-operatórios, a dose recomendada para adultos de baixo risco (estado físico ASA I e II, com idade abaixo de 60 anos) é de 0,07 a 0,1 mg/kg de peso corporal (aproximadamente 5 mg de midazolam). Idosos, pacientes debilitados ou com doenças crônicas: A dose deve ser reduzida e individualizada. Recomenda-se uma dose de 0,025 a 0,05 mg/kg, se não há administração concomitante de narcóticos. A dose habitual é de 2 a 3 mg. Em pacientes acima de 70 anos, midazolam intramuscular deve ser administrado com cautela, sob contínua observação, pois pode ocorrer sonolência excessiva. Crianças: Pacientes pediátricos com idades entre um e 15 anos requerem doses proporcionalmente mais altas que adultos em relação ao peso corpóreo. A dose média de 0,08 a 0,2 mg/kg de midazolam, administrada por via intramuscular (IM), tem se mostrado efetiva e segura. Recomenda-se administrar midazolam, profundamente, em uma grande massa muscular, 30 a 60 minutos antes da indução anestésica. Administração retal em crianças: A dose total de midazolam, geralmente 0,4 mg/kg, variando de 0,3 a 0,5 mg/kg, deve ser administrada 20 a 30 minutos antes da indução da anestesia. A administração retal da solução da ampola é realizada por meio de um aplicador plástico fixado ao final da seringa. Se o volume a ser administrado for muito pequeno, pode-se adicionar água a um volume total de 10 ml. Indução: Adultos: Se midazolam é usado para indução de anestesia antes da administração de outros agentes anestésicos, a resposta individual é variável. A dose deve ser titulada até o efeito desejado, de acordo com a idade e o estado clínico do paciente. Quando midazolam é usado antes de outros agentes EV para indução de anestesia, a dose inicial de cada agente pode ser significantemente reduzida a valores tão baixos quanto 25% da dose usual. O nível desejável de anestesia é alcançado por titulação cadenciada e cautelosa. A dose de indução EV de midazolam deve ser administrada lentamente em pequenos incrementos. Cada incremento de não mais que 5 mg deve ser injetado em 20 a 30 segundos, sendo necessário um intervalo de 2 minutos entre os incrementos para permitir o efeito clínico. Em adultos normais abaixo de 60 anos, uma dose de 0,15 a 0,20 mg/kg, administrada EV em 20 a 30 segundos e permitindo 2 minutos para o efeito clínico, geralmente é suficiente. Recomenda-se uma dose inicial de 0,2 mg/kg para pacientes cirúrgicos idosos de baixo risco (ASA I e II). Em alguns pacientes com doença sistêmica grave ou debilitados, uma dose ainda menor pode ser suficiente. Em adultos não pré-medicados, com idade abaixo de 60 anos, a dose pode ser mais alta (0,3 a 0,35 mg/kg de peso corpóreo), administrada EV em 20 a 30 minutos e permitindo cerca de 2 minutos para o efeito clínico. Se necessário, para completar a indução, incremento de aproximadamente 25% da dose inicial do paciente pode ser usado. A indução também pode ser completada com anestésicos líquidos voláteis inalatórios. Em casos resistentes, uma dose total de 0,6 mg/kg pode ser usada para indução, mas tais doses altas podem prolongar a recuperação. Não pré-medicados: Pacientes idosos geralmente necessitam de menos midazolam para indução: recomenda-se uma dose adicional de 0,3 mg/kg. Pacientes não pré-medicados com doenças crônicas graves ou outras debilitações geralmente necessitam de menos midazolam para indução. Geralmente, uma dose inicial de 0,2 a 0,25 mg/kg é suficiente. Em alguns casos uma dose tão pequena quanto 0,15 mg/kg pode ser suficiente. O midazolam não é recomendado para a indução de anestesia em crianças, já que a experiência é limitada. Manutenção: Adultos: A manutenção do nível desejado de inconsciência pode ser atingida por pequenas doses EV intermitentes (média de 0,03 a 0,1 mg/kg) ou por infusão EV contínua (média entre 0,03 e 0,1 mg/kg/h) tipicamente em combinação com analgésicos. As doses e os intervalos entre estas variam de acordo com as reações individuais de cada paciente. Adultos acima de 60 anos de idade, pacientes com doenças crônicas ou debilitados: São necessárias doses menores de manutenção. Crianças: Em crianças recebendo ketamina para anestesia (ataranalgesia) recomenda-se uma dose intramuscular (IM) de midazolam 0,15 a 0,20 mg/kg de peso corpóreo. Um nível suficientemente profundo de sono é geralmente alcançado após 2 a 3 minutos. Sedação endovenosa na unidade de terapia intensiva: O nível desejável de sedação é alcançado por titulação de maneira cadenciada, seguido por infusão contínua ou bolus intermitente, de acordo com a necessidade clínica, o estado físico, idade e medicação concomitante (ver Interações medicamentosas). Adultos: Administração endovenosa (EV): A dose inicial deve ser administrada lentamente em incrementos. Cada incremento de 1 a 2,5 mg deve ser injetado em 20 a 30 segundos, permitindo 2 minutos de intervalo entre os incrementos sucessivos. A dose inicial pode variar de 0,03 a 0,3 mg de midazolam por kg de peso corporal, mas geralmente não é necessária uma dose maior que 15 mg. Em pacientes hipovolêmicos, vasoconstritos e hipotérmicos a dose inicial deve ser reduzida ou omitida. Quando midazolam é usado com analgésicos potentes, estes devem ser administrados inicialmente, de modo que o efeito sedativo do midazolam possa ser titulado com segurança, acima de qualquer sedação causada pelo analgésico. A dose de manutenção pode variar de 0,03 a 0,2 mg/kg/h. Em pacientes hipovolêmicos, vasoconstritos ou hipotérmicos a dose de manutenção deve ser reduzida. Se as condições do paciente permitirem, o nível de sedação deve ser mensurado regularmente. Crianças: Administração endovenosa (EV): Dose inicial de 0,05 a 0,2 mg/kg de peso corporal para iniciar a sedação, administrada lentamente por pelo menos 2 a 3 minutos para alcançar o efeito clínico desejado, seguida por infusão endovenosa contínua de 0,06 a 0,12 mg/kg/h (1 a 2 mcg/kg/min). A taxa de infusão pode ser aumentada ou diminuída (geralmente em 25% da dose inicial ou da taxa de infusão subseqüente), de acordo com a necessidade do paciente. Doses suplementares de midazolam podem ser administradas para aumentar ou manter o efeito desejado. Ao iniciar a infusão endovenosa em pacientes hemodinamicamente comprometidos, a dose inicial habitual deve ser titulada em pequenos incrementos e o paciente deve ser monitorado para instabilidade hemodinâmica, como, por exemplo, hipotensão. Estes pacientes são também vulneráveis aos efeitos depressores respiratórios do midazolam e necessitam de monitorização cuidadosa da freqüência respiratória e saturação de oxigênio. Neonatos: Administração endovenosa (EV) por infusão contínua: Iniciar com 0,03 mg/kg/h (0,5 mcg/kg/min) em neonatos menores que 32 semanas ou 0,06 mg/kg/h (1 mcg/kg/min) em neonatos maiores que 32 semanas. Doses iniciais endovenosas não devem ser administradas. Durante as primeiras horas a infusão pode ocorrer mais rapidamente, para estabelecer níveis plasmáticos terapêuticos. A taxa de infusão deve ser cuidadosa e freqüentemente reavaliada, particularmente após as primeiras 24 horas, para que seja sempre administrada a menor dose efetiva possível e, assim, reduzir o potencial de acúmulo de midazolam. Compatibilidade com soluções de infusão: Midazolam injetável pode ser diluído com cloreto de sódio a 0,9%, dextrose a 5% e 10%, soluções de Ringer e de Hartmann em uma razão de mistura de 15 mg de midazolam para 100 a 1.000 ml de solução de infusão. Esta solução permanece física e quimicamente estável por 24 horas à temperatura ambiente, ou três dias a 5°C. Midazolam injetável não deve ser diluído com Macrodex® 6% nem deve ser misturado a injeções alcalinas. Midazolam precipita em bicarbonato de sódio.

O Clinicabr é um software para area de saúde. Para consultar a venda de remédios, sugerimos alguns sites populares na internet. Farmácias e drogarias on line:

Farmagora - www.farmagora.com.br
Farmadelivery - www.farmadelivery.com.br
Netfarma - www.netfarma.com.br
Ultrafarma - www.ultrafarma.com.br
Drogaria Minas Brasil - www.drogariaminasbrasil.com.br
Onofre - www.onofre.com.br

Informamos que esta se destina unicamente para consultas e que o uso de medicamentos sem orientação adequada pode trazer riscos a saúde. O ClinicaBR recomenda a todos os pacientes a procurarem sempre uma orientação médica.

Acidex VIAGRA MICROVLAR SALONPAS GEL Cialis Adegrip TYLENOL Adeforte Uni Vir Creme Software Medico Rivotril Novalgina Adriblastina Rd Puran T4 Advil Adalat Retard Acular Acrosin Bulario Software Odontologico Acarsan Locao Ad-element Cadastrar Dorflex Aerolin CID-10 Absten S HIPOGLOS Ad-til Accuvit NEOSALDINA Acticalcin Acne-aid BUSCOPAN Adalat Ciclo 21